Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Nesta quinta feira (17), a experiência do Maranhão com Plataforma Eletrônica da Saúde, a IPeS, desenvolvida em cooperação entre a Fundação Estatal Saúde da Família (FESF-SUS) e Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste, foi apresentada em uma live, transmitida pelo canal da FESF, no YouTube.

Por meio da iPeS, o estado do Maranhão tornou-se o 1º do Brasil a integrar os dados da atenção básica, urgência e de exames da Covid19 em um Registro Eletrônico de Saúde.  A iniciativa apresentada ao vivo contou com a presença do Diretor Geral da FESF, Carlos Alberto Trindade, e mensagens do Presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (CIDSNE) e Governador do Estado do Piauí, Wellington Dias, do Secretário de Saúde do Estado do Maranhão e Presidente do CONASS, Carlos Lula, de Carlos Gabas, Secretário Executivo do CIDSNE e João Cunha, Gestor de dados da Secretaria Estadual de Saúde do Maranhão.

“Esta é a primeira experiência estadual com esse grau de integração das informações do SUS e com criação e viabilização de um registro eletrônico de saúde (RES), que permite aos usuários acesso a seus próprios dados e possibilita aos profissionais de saúde consultar o histórico de saúde e de atendimento de seus pacientes, qualificando a atenção à saúde e permitindo avanços significativos na efetividade e eficiência dos serviços”, reforçou Trindade.

 O Governador do Estado do Piauí, Wellington Dias, destacou a importância desta plataforma para o sistema publico de saúde. “É uma conquista do povo do maranhão, e que também será trabalhada no Piauí e todos os Estados do nordeste brasileiro”.

A possibilidade de unificar informação e garantir acesso ao histórico de saúde, integrando informações e reduzindo gastos, foi reforçado pelo Secretário de Saúde do Estado do Maranhão e presidente do CONASS, Carlos Lula. “O SUS precisa viabilizar ferramentas que sejam mais eficazes para profissionais, usuários e gestores”, ressaltou.

No Maranhão, os dados da atenção básica/primária, da rede de urgência, por meio das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) estaduais, e os dados da vigilância em saúde oriundos dos sistemas GAL e eSUS-Notifica, importantíssimos nesse momento de enfrentamento da pandemia, alimentam o RES, de modo que, para um mesmo usuário, é possível ver os registros de atendimentos feitos desses pontos de atenção e os resultados de exames da Covid19. Assim, as 11 UPAs estaduais visualizam dados de todas as unidades básicas de saúde do estado. Do mesmo modo, os profissionais da atenção primária, que acompanham as pessoas mais de perto, especialmente nas situações de cuidado continuados, poderão visualizar as informações dos atendimentos realizados nas UPAs. Em ambos os casos, os profissionais de saúde terão acesso, ainda, a resultados de exames e notificações geradas em episódios de COVID19, em uma interface única, amigável e que pode ser integrada diretamente no prontuário eletrônico do paciente em uso na unidade de saúde.

“Queremos que esta plataforma chegue aos 9 estados do nordeste e aos 27 estados do Brasil. Fortaleçamos o SUS e fortaleçamos inciativas como esta da FESF”, afirmou Carlos Gabas, Secretário Executivo do CIDSNE.

A IPeS é resultado de uma encomenda tecnológica realizada nos moldes da Lei de Inovação (Lei nº 13.243/2016). Utiliza conectores inteligentes que extraem os dados de diferentes sistemas e em diferentes formatos e os disponibilizam em formato normalizado (FHIR e OpenEHR). Esses dados padronizados são indexados na plataforma, constituindo o Registro Eletrônico de Saúde (RES) dos cidadãos do MA. O RES é, então, disponibilizado para profissionais de saúde e pacientes através de um Portal Web (http://ipes.tech/portal) e de aplicativos para celulares disponíveis nas lojas Google Play e Apple Store. Adicionalmente, como a iPeS já está integrado ao SISUPA, permite aos profissionais das UPAs a visualização do RES de seus pacientes sem sair deste sistema. Tudo isso com uma robusta arquitetura de serviços e de segurança de dados, que foi projetada para funcionar de acordo com a LGPD (Lei nº 13.853/2019).

A apresentação da Plataforma iPêS e seus recursos foi realizada pelo coordenador do Projeto, Heider Aurélio Pinto e pelo professor da UNB, Ricardo Puttini, parceiro tecnológico da iPêS.

Saiba + https://ipes.fesfsus.ba.gov.br/

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.